ETCO – Escritório de Transferência do Conhecimento

Buscar Anterioridade

A atividade de pesquisa e a proteção do conhecimento

1.Para ganhar tempo e economizar recursos

Eventualmente, anos são empregados em uma pesquisa que, ao final, resulta em um produto ou processo sem atividade inventiva; ou seja, que não tem um efeito novo e/ou inesperado. Para evitar isso, é interessante começar uma pesquisa fazendo uma busca em bases de patentes para que os trabalhos sejam iniciados já a partir do estado da técnica descrito nos relatórios constantes de depósitos de pedidos de patente ao redor do mundo.  Isso pode facilitar, e muito, o  trabalho dos pesquisadores.
As seguintes bases de patente são gratuitas e estão disponíveis para  consulta:


Resultado de imagem para bandeira do brasil

BASE BRASILEIRA


Resultado de imagem para bandeira americana

BASE AMERICANA


Resultado de imagem para bandeira união europeia

BASE EUROPEIA


Resultado de imagem para bandeira espanha

BASE AMÉRICA LATINA E ESPANHA


Resultado de imagem para bandeira mexico

BASE MEXICANA


Resultado de imagem para bandeira japão

BASE JAPONESA


Resultado de imagem para bandeira china

BASE CHINESA


Resultado de imagem para bandeira canadá

BASE CANADENSE


2. Registro

Mantenha o registro de suas atividades de P&D em um Livro de Registro. Registre tudo, de erros à compras de material. Ao final de cada página, que deve ser numerada, date e assine. Isso facilita a comprovação de autoria, se for necessário. Adicionalmente, permite que os pesquisadores mantenham um diário de laboratório sempre atual.

3. Acesso ao Patrimonio Genético e ao Conhecimento Tradicional Associado

O acesso ao patrimônio genético brasileiro e aos conhecimentos tradicionais associados é regulado pela Lei da Biodiversidade (Lei 13123/2015) e pelo Decreto 8772/2016. Assim, todas as pesquisas experimentais ou teóricas que usem componentes do patrimonio genético ou do conhecimento tradicional associado devem ser previamente cadastradas no Sistema Nacional de Gestão do Patrimônio Genético – SISGen nos casos de remessa para o exterior, requerimento de direitos de propriedade intelectual, notificação de produto acabado ou material reprodutivo desenvolvido , comercialização de produto intermediário e/ou divulgação de resultados finais ou parciais da pesquisa.

Mais informações podem ser encontradas no site do Ministério do Meio Ambiente

4. Pesquisa x Sigilo x Publicação

Publish or Perish é a máxima da academia. Mas quando se trata do resultado de um projeto de P&D, publish pode ser perish. Nesse caso, o segredo pode fazer toda a diferença entre um produto passível de proteção ou não, tendo em vista que novidade é um dos critérios legais para se patentear algo. E uma vez publicado, aquele “algo” passa a fazer parte do estado da técnica e deixa de ser novidade.
Por outro lado, sabe-se, também, o quanto os pesquisadores são instados a publicar o resultado de suas pesquisas. Assim, o melhor é haver um combinação prévia entre todos os envolvidos sobre o que e quando publicar para que não se abra mão do aspecto legal de novidade da criação. Por uma questão de segurança, termos de confidencialidade podem ser firmados desde o projeto de pesquisa até a defesa final de uma eventual tese, cujos modelos encontram-e disponíveis nos seguintes links:

Copyright 2019 - STI - Todos os direitos reservados